Policiais civis e militares serão capacitados para rede de cooperação


Solenidade de divulgação do programa (Foto: José Cruz / Agência Brasil)

Policiais civis e militares vão receber capacitação para aperfeiçoar competências e formar uma rede com cultura de cooperação e troca de informações. A capacitação faz parte do Programa Academia Nacional de Polícia lançado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

O programa segue um modelo implementado pelo FBI, o Departamento Federal de Investigações dos Estados Unidos. A primeira turma será formada esse ano com a participação de 32 policiais entre delegados das polícias civis e oficiais das polícias militares dos estados e do Distrito Federal. O curso terá a duração de dois meses e serão abordados temas com ética, direitos humanos e gerenciamento de crise.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, destacou a importância da interação e do aprendizado conjunto entre policiais federais e estaduais. Segundo ele, o curso vai contribuir para o objetivo de integrar o trabalho das forças policiais.

“É algo que vai gerar grandes resultados no futuro, seja pela qualificação maior dos profissionais de segurança pública, seja por oportunizar esse compartilhamento de experiências diferentes, seja por aproximar agentes de polícias estaduais com os agentes de polícias federal na esteira desse objetivo que estamos perseguindo incessantemente de aprofundar a integração entre as forças de segurança e alcançar melhor resultado para servir e proteger a população brasileira”, disse o ministro Moro.

O secretário nacional de segurança pública, Guilherme Theophilo, explicou que o Programa Academia Nacional de Polícia vai formar um “networking”, uma rede de contatos, entre os diversos órgãos de segurança pública. “Se não dividimos informações, não vamos conseguir formar uma rede para que a gente possa atuar com mais eficácia em cima do crime organizado”.

Modelo americano

O Programa Academia Nacional de Polícia segue o modelo do “Programa FBI National Academy” com adaptações para a realidade da segurança pública brasileira. Nos Estados Unidos, a iniciativa foi criada em 1930 para aprimorar a integração entre as polícias federais e locais e foi bem-sucedido na formação de uma rede de cooperação policial. Até hoje, o FBI realiza seções anuais da capacitação.

Programa Academia Nacional de Polícia

A capacitação dos 32 policiais terá início em 30 de setembro. Para conseguir uma vaga, os militares passaram por processo seletivo. As edições do curso serão anuais e as aulas ocorrerão na Academia Nacional de Polícia (ANP), da Polícia Federal, em Brasília.

Além das instruções diárias, os alunos farão visitas técnicas ao Instituto Nacional de Criminalística (INC), Instituto Médico Legal (IML), Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e também ao Batalhão de Operações Especiais do Exército Brasileiro, em Goiânia (GO).

O diretor de Ensino e Estatística da Senasp, Jorge Pontes, disse que além da integração, o programa vai reduzir diferenças entre as forças policiais. “Com a perspectiva de médio e longo prazo, o programa terá o condão de diminuir assimetrias entre todas as policias do nosso país catalisando o urgente e importantíssimo processo de integração entre essas instituições”.

 

 

Fonte: Governo do Brasil

Anterior Decisão entre Náutico x Sampaio Corrêa começa neste domingo (29) em Recife
Próximo Coisas do Brasil que estimulam o aprendizado

Sem Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *