Ministério da Cidadania vai apoiar o Programa Educacional de Resistência às Drogas


Palestra do Proerd em escola do Distrito Federal (Foto: Governo do Brasil)

Informar crianças e adolescentes sobre os perigos do álcool e de outras drogas. É o objetivo do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), realizado pelas Polícias Militares em escolas de todo o país.

De forma lúdica e didática, os policiais vão até as salas de aula e orientam sobre os riscos dessas substâncias e que devem ser evitadas. A partir deste mês, o programa terá reforço com uma parceria firmada entre o Ministério da Cidadania e o Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e os Corpos de Bombeiros Militares.

Segundo o secretário de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, o objetivo do governo federal é fortalecer e expandir o programa, que já tem uma grande capilaridade no país.

“Nós sabemos que os programas de prevenção precisam começar desde cedo pra que nós diminuamos o acesso de jovens e adolescentes às drogas. A partir de agora, com essa parceria firmada com o Governo Federal, a ideia é que possamos fortalecer o Proerd nos estados e também ajudar na expansão desse programa”, comentou. De acordo com o secretário, nos próximos meses será realizada uma reunião para estabelecer o plano de ação.

Proerd

O Proerd é uma adaptação brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistence Education – D.A.R.E. No Brasil, o programa foi implantado em 1992, pela Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, e hoje é adotado em todo o país. O Proerd tem três vertentes: para a educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental, para o 5° e 7° anos do ensino fundamental e para pais e responsáveis legais.

Uma das escolas participantes do programa é a Escola Classe 21, na região administrativa do Gama (DF), a 30 km de Brasília. Em sala, os alunos participam de atividades que reforçam a necessidade de se manter longe das drogas.

O policial Renato Araújo atua na escola como palestrante, e repassa essas informações às crianças. Segundo ele, quanto mais cedo elas tiverem essa consciência, melhor. “Quando a gente entra na vida das crianças mais cedo, trazendo esse tipo de informação, ela já sabe das consequências, dos males que as drogas podem causar na vida dela. Isso faz com que elas evitem se contaminar e usar esses tipos de substância”, explicou.

A coordenadora da escola, Neiva Gomes, disse que esse trabalho da Polícia Militar é muito bem-vindo. “A gente gosta muito dessa parceria com a PM, da abordagem que eles fazem baseada na persuasão, no empoderamento. Essas crianças vão sair daqui preparadas para dizer ‘não’ lá fora. É importante pra eles”, afirmou.

Durante as aulas, além de informar sobre os riscos das drogas, os policiais também orientam os alunos sobre como recusar possíveis ofertas e se afastar de ameaças.

Segundo o coordenador do Proerd na Polícia Militar do Distrito Federal, capitão Diego Araújo, a ideia é mostrar ao aluno que ele pode resistir às pressões. “Muitas vezes a pessoa é motivada pela curiosidade, pelo desconhecido, então quando a gente fala pra eles que podem fazer isso, recusar, falar ‘não’, tudo isso vai transformando a vida dessa criança”, detalhou.

Para as crianças, a lição é importante. “A gente aprende muitas coisas sobre dizer ‘não’ às drogas porque elas fazem mal pro nosso corpo”, disse a estudante Ana Clara Gonçalves, de 10 anos.

 

Fonte: Governo do Brasil

Anterior Caixa funcionará com horário estendido e no sábado para atender o trabalhador
Próximo Educação: Base Nacional Comum Curricular começa nas escolas em 2020

Sem Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *